História


A fundação da ABEM

Durante muito tempo e há vários anos, alguns empregados do Minas Tênis Clube (MTC), entre eles os Senhores João Eleutério Filho (João Bolinha), Abraham da Silva Passos, Romero da Costa Ribeiro, José Augusto de Jesus (Birosca), que atuavam em instituições religiosas e de caridade, percebendo as dificuldades e carências apresentadas por colegas de trabalho, compravam produtos alimentícios básicos e doavam ou vendiam mais barato aos mais necessitados. Esse trabalho funcionava como uma espécie de cooperativa informal, mas devidamente autorizada pelo MTC.

No início do primeiro mandato do Dr. Urbano Brochado Santiago, a sua esposa Dona Maria Luiza Vieira Santiago reuniu alguns funcionários e incentivou a criação de uma associação dos empregados do Minas Tênis Clube. A idéia era criar uma associação dos funcionários e dirigida pelos funcionários. Daí, após algumas reuniões, já com a participação de funcionários, entre eles Marcus Antônio de Magalhães (Gerente Administrativo do MTC) e Marco Antônio Ribeiro Romanelli (Advogado do Clube), a ABEM foi finalmente fundada.

Era o ano de 1987, e o país vivia momentos importantes e bem distintos: como o início da redemocratização, a promulgação de uma nova Constituição - considerada por muitos como uma Constituição moderna, principalmente nos aspectos sociais e políticos - , a implantação do plano cruzado, que congelou os preços e estabilizou a moeda, e o posterior aumento da inflação, que disparou e passou dos 80% ao mês. Era um período histórico importante, porém bastante difícil para toda a população.

A ABEM nasceu do conjunto das possibilidades, necessidades e dificuldades vividas naquele período, da sensibilidade e do incentivo que a Diretoria do Clube deu para a sua fundação - prova disso é que o Minas se colocou como Mantenedor Principal destinando parte de sua receita para a Associação -, do desejo que algumas pessoas tinham em ajudar, da colaboração voluntária de outras pessoas, entre elas as Senhoras Julieta Auxiliadora Laborne Ribeiro e Emília Margarida Mascarenhas, entre outros membros da Diretoria e do corpo de funcionários, que ajudaram a consolidar legalmente a associação.

Em pouco tempo, a ABEM já seria reconhecida como instituição de utilidade pública municipal e estadual e disponibilizava a totalidade de seus recursos para atender os benefícios objetivados em seu estatuto.

 


Honra ao mérito

“A grandeza não consiste em receber honras, mas em merecê-las”
(Aristóteles)

A História é o estudo das experiências humanas vividas ao longo do tempo, resultadas das ações de todos os homens. A História registra o que os homens do passado fizeram, a maneira pela qual viveram e as idéias que tiveram. Ao percorrer a trajetória da história da ABEM, ao longo dos seus quase 20 anos de existência, nada mais estamos fazendo do que registrar as importantes realizações e idéias desenvolvidas por todos os seus associados, dirigentes e por outras pessoas que, mesmo não fazendo parte do quadro de associados, aparecem como partícipes dos objetivos de criar uma associação e, depois, fazer cumprir seus objetivos principais.

Assim como ao longo da História da humanidade, nos deparamos com alguns personagens que, por várias razões, se sobrepujaram aos demais homens. Na história da ABEM, também nos deparamos com algumas pessoas que por seu desprendimento, coragem, idealismo e voluntarismo ajudaram a apressar a existência e o desenvolvimento de nossa Associação. A eles foram prestadas homenagens que de forma alguma superam seus feitos, mas procuram prestar-lhes os devidos reconhecimentos e agradecimentos. Estes personagens foram além do dever estatutário que cada associado tem, de trabalhar pelo engrandecimento da Associação e desempenhar com interesse e zelo os cargos ocupados na Administração da ABEM.

Foi com esse propósito que o Conselho Deliberativo, dentro de suas prerrogativas estatutárias de agraciar com comendas àqueles que, de uma forma ou de outra, tenham prestado relevantes serviços à nossa Associação, concedeu, atendendo propostas motivadas das respectivas Diretorias, em 1988 e 1993, os títulos de Associada Benemérita e Presidente de Honra da ABEM à Sra. Maria Luiza Vieira Santiago, o título de Associada Benemérita à Sra. Julieta Auxiliadora Laborne Ribeiro e o título de Presidente de Honra do Conselho Deliberativo ao Sr. Marcus Antônio de Magalhães. Posteriormente, em 2007, a Diretoria concedeu o título de Associado Benemérito ao Sr. Marco Antônio Rebelo Romanelli.
.
Dona Maria Luiza, Dona Julieta, Dr. Marcus Magalhães e Dr. Romanelli lideraram um grupo e criaram, com total apoio da Diretoria do MTC, em 27 de maio de 1987 a Associação Beneficente dos empregados do Minas Tênis Clube. Depois, com retidão e alto senso de responsabilidade, trabalharam para a consolidação e desenvolvimento da ABEM.

 


A ABEM é de utilidade pública

Em 23 de setembro de 1988 e em 19 de julho de 1990, a ABEM, na condição de Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – OSCIP, foi declarada, respectivamente, entidade de Utilidade Pública Municipal e Estadual. No Brasil, há cerca de 219 mil entidades sem fins lucrativos, certificadas com o referido título, inscritas no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas.

Os quesitos básicos necessários para as entidades serem reconhecidas como instituições de utilidade pública, como personalidade jurídica, são o efetivo funcionamento na condição de interesse à comunidade, os cargos de diretoria serem ocupados por pessoas idôneas e que não recebam qualquer tipo de remuneração, que tenham por finalidade prevista em estatuto a prestação de assistências social, médica, hospitalar e ambulatorial, filantrópica, de pesquisa científica, cultural, artística e a preservação da natureza.

O título, conferido às entidades civis, associações, fundações e agremiações, possibilita o recebimento de subsídios para a manutenção de suas atividades e que elas possam pleitear doações de mercadorias apreendidas pela Receita Federal, o recebimento de bens móveis da União, Estados e Municípios considerados antieconômicos ou irrecuperáveis, a isenção de imposto de renda e o acesso a outros tipos de isenções de determinados impostos.

As concessões dos dois títulos foram resultados de iniciativas desenvolvidas durante os mandatos dos presidentes Marcus Antônio de Magalhães e José Augusto Tavares Trani e contou com os apoios decisivos do Dr. Sebastião Helvécio Rosemburg, Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, que atestou a idoneidade dos dirigentes e o caráter de associação sem fins lucrativos da ABEM, do Deputado Raimundo Albergaria e do Vereador Helvécio Arantes que propuseram os Projetos de Lei estadual e municipal.

Os títulos foram conferidos pelo elenco de medidas de interesses que compunham os objetivos da ABEM, à época, e por tantos outros que ainda viriam a ser colocados em prática.

 


Inauguração da sede própria

No dia 30 de dezembro de 1992, a ABEM inaugurou sua sede própria. Foi mais um grande passo no trabalho de assistência aos seus associados e na melhoria das condições para o cumprimento dos objetivos propostos.

A aquisição da sede foi uma importante decisão da Diretoria da Associação, presidida pelo Sr. José Augusto Tavares Trani, que relembra o momento e as condições em que a decisão foi tomada. “Era um momento importante na história da ABEM. Havia um aumento considerável dos benefícios oferecidos, uma grande quantidade de serviços em conjunto com diversas empresas conveniadas e uma demanda significativa para a ampliação dos serviços de saúde. Fazia-se necessário a disponibilização de um espaço administrativo que pudesse melhorar o atendimento aos associados e ainda possibilitar a promoção do atendimento médico-odontológico”.

O então presidente do Minas Tênis Clube, Dr. Paulo Eduardo Almeida de Mello, e o Presidente do Clube à época da fundação da Associação, Dr. Urbano Brochado Santiago, estiveram presentes durante a cerimônia de inauguração e destacaram a satisfação do Clube em ver a Abem criando sua independência e buscando as condições para melhor representar os empregados do Clube. Hoje, a sede de propriedade da ABEM, situada à Av. do Contorno, 6000, sala 303, em Belo Horizonte/MG, é ocupada por um consultório odontológico e alugada a terceiro. No mesmo prédio, a ABEM aluga a sala 301, onde fica sua sede administrativa.

 

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Homenagens recebidas

 

Diploma de Mérito - ABEM 29 ANOS

Os 29 anos de fundação da ABEM – Associação Beneficente dos Empregados do Minas, completados em 27 de maio de 2016, foram comemorados na Câmara Municipal de Belo Horizonte, no dia 24 do mesmo mês, em  cerimônia requerida pelo vereador Joel Moreira Filho.  Em nome da associação, a Diretoria recebeu o Diploma do Mérito, em reconhecimento aos relevantes serviços prestados pela ABEM na promoção da qualidade de vida de seus associados
 

 

O vereador Joel Moreira, a presidente e o vice-presidente da ABEM, Eliete Souza e Wellington Barbosa,
e o presidente do Minas Tênis Clube, Luiz Gustavo Lage

Diploma de Reconhecimento - Minas 80 anos

A ABEM foi homenageada na Câmara Municipal de Belo Horizonte,  no dia 4 de novembro de 2015, durante a reunião especial em comemoração aos 80 anos do Minas, requerida pelo vereador Pelé do Vôlei. Representando os associados, a presidente Eliete de Souza recebeu o diploma que enaltece a "atuação cidadã da ABEM em prol da qualidade de vida de seus associados".  
 

 

O diploma recebido pela ABEM, outorgado pela Câmara Municipal de Belo Horizonte



O vereador Pelé, autor da homenagem, sua esposa Iolanda, a presidente da ABEM, Eliete de Souza,
e o vice-presidente do Minas, Paulo Emílio de Lima